O que é automatização?


A automatização significa a substituição do trabalho humano por dada tecnologia. As empresas utilizam a automatização para melhorar a eficiência e a precisão, ao mesmo tempo que reduzem custos e o stresse. Entre os métodos mais comuns de automatização incluem-se a robótica, programas de automatização de processos e soluções de automatização inteligente, como a IA e o Machine Learning.

what_is_automation

História da automatização

O termo «automatização» foi cunhado na década de 1940, quando um engenheiro da Ford Motor Company o utilizou para descrever a maior mecanização das linhas de montagem de automóveis. No entanto, o conceito de automatização já existe há muito mais tempo.

Os antigos gregos e egípcios projetavam máquinas autocomandadas para usos práticos e entretenimento, incluindo relógios de água e animais mecânicos. Estas ideias foram desenvolvidas durante a Idade Média e o Renascimento, quando Ismail al-Jazari e Leonardo da Vinci inventaram máquinas para automatizar tarefas manuais, como sistemas de bombagem, o bobinador automatizado e o carro autopropulsado.

Mas foi preciso esperar pela Revolução Industrial para que a automatização realmente se desenvolvesse em pleno. O aperfeiçoamento das energias da água, do vapor e do carvão durante o século XVIII levou à invenção de novas máquinas, como o tear mecânico e a máquina de fiar Jenny, concebidas para substituir o trabalho humano e maximizar a produção. Isto provocou o declínio das economias rurais e artesanais, afetando o trabalho e a vida doméstica de milhões de pessoas.

Os avanços nos domínios do aço, da eletrónica e da tecnologia digital provocaram ainda mais revoluções industriais durante os séculos XIX e XX, que aceleraram a automatização e melhoraram os padrões de vida em todo o mundo. Estamos atualmente a viver a Quarta Revolução Industrial – uma era caracterizada pela automatização inteligente, orientada por soluções como a cloud, a robótica e a IA.

Tipos de automatização

Existem muitos tipos diferentes de automatização. A Automatização Industrial, como as máquinas e a robótica, substitui a mão de obra humana manual e é, por isso, comum nos setores do fabrico, da energia, da agricultura e automóvel. A automatização de empresas, como a Automatização de Processos Informáticos e a Automatização de Processos Empresariais, substitui a capacidade cognitiva humana e é popular em muitas áreas distintas, incluindo a informática, as finanças, os cuidados de saúde e o apoio ao cliente.

Veja a definição de cada tipo de automatização:

Inteligência artificial (IA)

A IA é uma forma de automatização inteligente que utiliza programas para imitar ou até superar a inteligência humana. Utiliza algoritmos e lógica para encontrar padrões nos dados e simular a cognição humana (por exemplo, na resolução de problemas). Uma das formas mais comuns de IA é o Machine Learning, que aprende e melhora com a experiência, sem necessidade de programação ou de intervenção humana.

As empresas utilizam a IA e o Machine Learning para:

  • simplificar o apoio ao cliente (por exemplo, chatbots);
  • prever riscos, fraudes ou desempenhos financeiros;
  • detetar atividades maliciosas ou anormais na rede;
  • analisar dados para encontrar tendências de vendas e de marketing;
  • identificar pessoas ou objetos em imagens e vídeos;
  • realizar diagnósticos médicos e prognósticos clínicos;
  • descobrir sentimentos positivos e negativos em texto;
  • reconhecer a fala, efetuar ações ou identificar idiomas;
  • prever preferências do cliente e fazer recomendações de produtos;
  • aperfeiçoar uma APIcom IA, tornando-a mais inteligente e segura.

Embora seja um tópico controverso, a IA tem o potencial de apoiar a Humanidade de maneiras que nunca imaginámos. Como pode automatizar tarefas complicadas e realizar cálculos impossíveis para o cérebro humano, a IA um dia impulsionará avanços em áreas críticas como a saúde, a educação, a investigação científica, a cibersegurança e a sustentabilidade.

Eis alguns exemplos de soluções de IA empresarial: IBM Watson, TensorFlow, Salesforce Einstein e Azure Machine Learning Studio.

Automatização de Processos Robóticos (RPA)

A Automatização de Processos Robóticos (Robotic Process Automation, RPA) consiste em software que permite às empresas criar e gerir robôs. Estes bots são programados para automatizar tarefas de back-office simples, como preencher folhas de cálculo ou enviar e-mails. Isto permite poupar tempo e concentrar as equipas em tarefas mais inovadoras. Os bots RPA costumam aprender através de processos de gravação, ou «screen scraping» (isto é, usando informações que veem no ecrã e usando-as para preencher formulários ulteriormente). Outros exemplos de soluções RPA são o Blue Prism e o Power Automate.

Automatização de Processos Empresariais (BPA)

O software de Automatização de Processos Empresariais (Business Process Automation, BPA) foi concebido para automatizar processos empresariais complexos dotados de vários componentes. É controlado através de uma API central, uma vez que implica a construção de fluxos de trabalho automatizados e a integração com outras áreas da infraestrutura informática. As empresas utilizam frequentemente o BPA para automatizar os processos de RH e financeiros, como a integração de pessoal ou o processamento de faturas. Também é popular entre as equipas de vendas e de marketing, que utilizam soluções CRM baseadas em BPA para automatizar e gerir os pipelines de vendas, a planificação de chamadas, as campanhas por e-mail e as redes sociais. Entre os exemplos de soluções BPA incluem-se o HubSpot, o Nintex, o Kissflow e o Mailchimp.

Automatização de Processos Informáticos

Este método de automatização utiliza programas ou scripts para racionalizar tarefas e processos informáticos. Tornou-se um elemento essencial da transformação digital, aumentando a agilidade e facilitando fluxos de trabalho complexos. As ferramentas de Automatização de Processos Informáticos funcionam através da monitorização do sistema para detetar eventos predefinidos, tais como tarefas informáticas de rotina, problemas técnicos ou atividades maliciosas. Ao detetar um evento, a ferramenta aciona um fluxo de trabalho automatizado e a tarefa é ativada ou o problema é resolvido.

Uma vasta gama de tarefas informáticas pode ser automatizada; por exemplo:

  • monitorização de segurança;
  • escrita de consultas SQL;
  • processos DevOps;
  • backup para a cloud;
  • gestão de tickets de apoio ao cliente;
  • gestão de passwords;
  • gestão da carga de trabalho cloud;
  • Infrastructure-as-a-Service (IaaS);
  • monitorização do registo de ficheiros e eventos;
  • gestão das redes e das bases de dados.

Também se está a tornar popular uma forma avançada de Automatização de Processos Informáticos, a chamada orquestração. A orquestração consiste na coordenação e gestão de várias tarefas, sistemas ou aplicações em simultâneo, conduzindo a um único processo ou fluxo de trabalho. É frequentemente utilizada pelas equipas DevOps para acelerar o time-to-market, mas também pode ser aplicada à cloud, aos servidores, aos containers, às bases de dados, à gestão de incidentes e muito mais.

Entre os exemplos de soluções de Automatização de Processos Informáticos estão o Puppet, o Ansible, o Jenkins, o Kubernetes, o VMware, o Darktrace e o Selenium.

Automatização Industrial

A Automatização Industrial utiliza hardware físico, como máquinas e robótica. Comum em fábricas e armazéns, é usada para tornar a produção em massa mais eficiente, ou então para realizar tarefas complexas ou perigosas. Um exemplo de Automatização Industrial é o uso de braços robóticos em fábricas de automóveis para soldar e pintar carros.

Existem três categorias de Automatização Industrial: fixa, programável e flexível. As máquinas que utilizam a automatização fixa são programadas para realizar uma só tarefa, o que pode ser inflexível, já que se revela necessário comprar novas máquinas a fim de se programar uma nova tarefa. A automatização programável oferece mais flexibilidade, pois permite que os utilizadores programem novas tarefas conforme e quando necessário. É comum na produção em lotes, por exemplo, em que um lote tem um design diferente do lote seguinte. A automatização flexível também permite que as máquinas sejam reprogramadas facilmente. Oferece a vantagem acrescida de não se verificarem interrupções de serviço entre os programas, podendo produzir em massa sem a necessidade de se recorrer a lotes.

Vantagens da automatização

As máquinas criadas durante a Revolução Industrial transformaram o trabalho, pois foram construídas para substituir a mão de obra humana. As pessoas trabalhavam em fábricas em condições muito difíceis, operando máquinas orientadas para a produção em massa e para a maximização do lucro dos patrões. Esta mudança para uma economia industrial provocou profundas alterações sociais, com um impacto nas famílias, na saúde, na habitação e em muitos outros aspetos da vida quotidiana.

Ao lembrar-se este período de mudança, pode ser fácil temer a automatização. Uma vez que tecnologias como a IA e a robótica têm o poder de pensar e de se mover como nós, há quem acredite que os humanos acabarão por se tornar obsoletos. Porém, embora seja disruptiva, a automatização traz muitas mudanças positivas que podem levar a um futuro melhor para todos nós.

Eis algumas das vantagens da automatização:

  • reduz custos, aumenta a eficiência e permite uma comercialização mais rápida;
  • aperfeiçoa a qualidade dos bens e serviços, melhorando a experiência dos clientes;
  • reduz as tarefas fastidiosas ou aborrecidas, a fim de que as equipas ganhem tempo para inovar;
  • ajuda as empresas a prever e a executar tarefas complexas, nomeadamente no domínio da saúde;
  • elimina o trabalho manual penoso, que prejudica a saúde das pessoas e pode ser mal remunerado;
  • ajuda as empresas a compreender dados complexos, algo essencial à medida que crescem as pegadas de dados;
  • cria um novo mercado de trabalho (por exemplo, manutenção de robótica e especialistas em IA).

OVHcloud e automatização

Enquanto fornecedores de soluções cloud, sabemos como tirar partido do poder da automatização. Para ajudar os nossos clientes a construir e a orquestrar processos automatizados, oferecemos uma gama de ferramentas de automatização para a Public Cloud, entre as quais se encontram o Managed Kubernetes e o Workflow Management.